Famosos posam para calendário contra a Aids

Doze famosos, produzidos por 12 hairstylists diferentes, posaram para o Calendário L’Oréal 2013 Cabeleireiros Contra Aids. Todos eles reverteram seus cachês para a Sociedade Viva Cazuza, que cuida de pacientes que tratam a doença. Entre os artistas, estão o cantor Ney Matogrosso e os atores José Mayer, Letícia Spiller, Cássia Kiss, Natália Rodrigues, Bárbara Paz, Fernanda Vasconcellos, entre outros.

O grande diferencial do projeto deste ano é que as fotos foram produzidas de acordo com Retratos Harcourt, um estilo de fotografia francesa com iluminação única. Fundado em 1943, em Paris, por Cosette Harcourt  e os irmãos Lacroix e Robert Ricci, filho da designer Nina Ricci, o estilo se tornou ícone do setor no mundo. Brigitte Bardot, Salvador Dalí e Edith Piaf são algumas das estrelas eternizadas em imagens do estúdio. Os brasileiros Glória Pires, Paulo Coelho e o tenista Gustavo Kurten também já passaram por lá.

Pela primeira vez no Brasil, o fotógrafo do Studio Harcourt, Didier Bizous, foi ao Rio de Janeiro para a campanha. Entre as imagens clicadas por ele, as fotos de Cássia Kiss, José Mayer e Ney Matogrosso irão participar da exposição Harcourt: Escultor de Luz, que está no Rio de Janeiro e passará por São Paulo e outras grandes cidades ao longo de 2013.

Fonte: Portal Terra

Cabeleireiros e famosos se unem em campanha contra a AIDS

Hoje, 1º de dezembro, é o Dia Mundial da Aids e estão rolando várias ações da L’Oréal em parceria com a  UNESCO. Pelo quarto ano consecutivo, vários cabeleireiros tops se uniram em prol dessa data, participando da Passeata Virtual Cabeleireiros Contra a AIDS pelo Facebook e produzindo (com o apoio do Ministério da Saúde) um calendário especial com fotos de personalidades.

Os 12 cliques são exclusivos, com looks feitos pelos cabeleireiros participantes da ação, e trazem mensagens de prevenção sobre o HIV/AIDS. Os famosos vestem uma camiseta do estilista Carlos Tufvesson com o slogan “Quem cuida da beleza, cuida da saúde”, também feita especialmente para o ensaio.

Entre os modelos estão: Reynaldo Gianecchini, Larissa Maciel, Daniela Escobar, Geovanna Ewbank, Caio Blat, Bruna Linzmeyer, Lavínia Vlasak, Camila Pitanga, Monique Alfradique, Cínara leal, Tainá Muller e Fernanda Tavares. No time dos cabeleireiros, Jô Nascimento, Wanderley Estrella, Hans Haln e assistente Ely Rodrigues, Ivaldo Lima, Silene Olmo, Matheus Vieira, Célio Faria, John Miyata, César Augusto, Claus Borges, João Coscardo e Edy Clemente foram os responsáveis. As fotos são de Nana Moraes e Daniel Mattar, com produção de Christina Boller e maquiagem de  Érica Monteiro.

Para os interessados, o calendário estará à venda nos melhores salões de beleza do Brasil ou através do site da Sociedade Viva Cazuza , por R$10,00  cada. Toda a renda será revertida para a Sociedade Viva Cazuza.

Fonte: Portal Virgula

Magic Johnson completa 20 anos com AIDS: “quero viver muito tempo”

Após 20 anos do anúncio de que havia contraído AIDS e que abandonaria o basquete, um dos principais atletas do esporte americano, “Magic” Johnson, recebeu uma bela homenagem no Staples Center, em Los Angeles, por parte da família e amigos. Estiveram presentes o ex-treinador, Pat Riley, o dono do Los Angeles Lakers, Jerry Buss, e os ex-companheiros James Worthty e Michael Cooper.

Durante a cerimônia de homenagem, Johnson reconheceu que não se arrepende da decisão de ter abandonado as quadras. No entanto, o ex-atleta disse que, atualmente, com todas as informações que se têm, provavelmente não teria a mesma atitude.

“Foi a decisão correta naquele momento. Se soubesse o que sei atualmente, talvez não tivesse me aposentado”, afirmou o ídolo do basquete americano, que ainda completou. “Sou uma pessoa sem arrependimentos por minhas decisões, não olho para trás”.

Além disso, Johnson disse que apesar da AIDS está muito feliz e que ainda deseja viver por muito tempo. “Estou feliz e quero viver por muito tempo. Tomamos a decisão certa no momento adequado”, disse o ex-jogador do Los Angeles Lakers.

Por último, “Magic” entregou um cheque de U$S 1 milhão (cerca de R$ 1,74 milhões) para a investigação e luta contra a doença. Aos 52 anos, ele é um exemplo de que seguindo as ordens médicas e praticando exercícios é possível lutar contra a doença.

O ex-atleta toma 15 comprimidos diários, e cumpre rigorosamente sua rotina de exercícios, acordando às 5h todos os dias.

Fonte: Portal Terra / Esportes

CELEBRIDADES CONTRA A AIDS

Desde que foram constatados os primeiros casos de AIDS, no mundo, diversas celebridades desempenharam papel importante na luta contra a doença ao longo dos anos, desde então. Esse movimento começou com Rock Hudson e Freddie Mercury, na década de 80, mas há muitos outros.
Elton John e Elizabeth Taylor são outras personalidades de extrema importância nessa luta que buscam (legado de Elizabeth continua mesmo após sua morte em Março/2011) conscientizar e levantar fundos para pesquisas em HIV, bem como reduzir o estigma do que foi inicialmente visto como uma “peste gay”.
Aposentado jogador de basquete Magic Johnson fez campanha incansável desde anunciar em 1991 que ele havia contraído o HIV, enquanto o ícone pop Michael Jackson, um amigo de Taylor, também era um forte defensor antes de sua morte em 2009.

A Elton John Aids Foundation levantou cerca de US $ 225 milhões para projetos em 55 países desde que foi fundada em 1992.

“Tanto Elton e David Furnish, seu companheiro, são absolutamente apaixonados pelo trabalho da Fundação “, disse Anne Aslett, chefe do braço britânico da EJAF.

“Gente pode falar pessoalmente e emocionalmente … Isto significa que os seus influência pode ser enorme “, disse à AFP, citando o impacto dos outros incluindo a falecida princesa Diana, Whoopi Goldberg e Sharon Stone.

O primeiro caso de AIDS veio ao conhecimento público em 1981, quando médicos dos EUA registaram um conjunto incomun de mortes entre os jovens homossexuais da Califórnia e Nova York.

Nas três décadas seguintes, desde então, a AIDS matou cerca de 30 milhões de pessoas, e outros 33 milhões convivem com a doença.

Para ler mais, em inglês: clique aqui.
Fonte: The Guardian/UK

Carolina Dieckmann, Eriberto Leão e famosos posam para ação solidária

As fotos inéditas deste ensaio foram feitas por Fernando Torquatto para a entidade The Foundation for Aids Research, a amfAR, criada em 1985 por Elizabeth Taylor para combater a Aids. A atriz, que morreu em 23 de março, foi uma das primeiras celebridades a participar de campanhas de luta contra a doença, no início dos anos 80. Durante quatro dias, Torquatto fotografou 22 personalidades que abraçaram a ideia e posaram com a camiseta da amfAR.

Entre elas, Carolina Dieckmann, Alinne Moraes, Carmo Dalla Vecchia, Malvino Salvador, Eriberto Leão e Ildi Silva. “Todos foram solidários à causa. Esse é um assunto que tem que ser relembrado sempre”, diz o fotógrafo e maquiador. As imagens são fotos de divulgação do primeiro evento que se realiza na América Latina em prol da instituição. “A fundação sempre promove ações como essa pelo mundo. Será um jantar beneficente para 250 convidados, com a presença de Jennifer Hudson e Claire Danes, na casa do empresário Felipe Diniz, dia 28 de abril, em São Paulo”, avisa Torquatto.
Fonte: Revista Quem

Serena Williams “morre digitalmente” em campanha contra a Aids

No Dia Mundial de Luta Contra a Aids, a tenista Serena Williams aceitou um convite da cantora Alicia Keys para participar de uma campanha para ajudar crianças portadoras do vírus HIV. Bastante maquiada, Serena aparece morta, dentro de um caixão. A ideia da iniciativa é promover a “morte digital” de algumas celebridades nas redes sociais, na tentativa de arrecadar a quantia de US$ 1 milhão.

Os participantes da campanha só voltarão a participar das redes sociais apenas após a meta ser atingida. Além da tenista norte-americana, outras personalidades como Lady Gaga, Kim Kardashian, Justin Timberlake, Jennifer Hudson, Khloe Kardashian (esposa do jogador de basquete Lamar Odom) e Elijah Wood participam da iniciativa.

Fonte: Eband

Serena Williams "morre digitalmente" em campanha contra a Aids

No Dia Mundial de Luta Contra a Aids, a tenista Serena Williams aceitou um convite da cantora Alicia Keys para participar de uma campanha para ajudar crianças portadoras do vírus HIV. Bastante maquiada, Serena aparece morta, dentro de um caixão. A ideia da iniciativa é promover a “morte digital” de algumas celebridades nas redes sociais, na tentativa de arrecadar a quantia de US$ 1 milhão.

Os participantes da campanha só voltarão a participar das redes sociais apenas após a meta ser atingida. Além da tenista norte-americana, outras personalidades como Lady Gaga, Kim Kardashian, Justin Timberlake, Jennifer Hudson, Khloe Kardashian (esposa do jogador de basquete Lamar Odom) e Elijah Wood participam da iniciativa.

Fonte: Eband