Amazonas registra 2.186 novos casos de HIV/Aids

 No estado do Amazonas, o Dia Mundial de Luta Contra a Aids, comemorado nesta quarta-feira (1º) teve início no dia 22 de novembro, cujo objetivo é alertar a população sobre as formas de contaminação e principalmente com relação à prevenção contra o vírus HIV. Uma programação especial será promovida pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) em parceria com a Secretaria Estadual da Saúde (Susam).

Dados do Sistema de Informação de Agravos e Notificação (SinanNet) apontam que no período de 2007 a 2010, o Amazonas registrou 2.186 casos de HIV/Aids. Do total de casos registrados, 92% foram notificados em Manaus. As principais vítimas do HIV são jovens adultos com idade entre 20 e 34 anos, cuja participação na incidência anual de casos supera 50%, em Manaus, nos anos de 2007, 2008 e 2009.

Até setembro deste ano, 48,1% dos casos notificados no município estão nesta faixa etária. Setenta e seis casos foram registrados entre jovens de 15 a 19 anos desde 2007, e 21 entre os maiores de 65 anos, sendo três deles em pessoas que tinha acima de 80 anos. Segundo o coordenador do Programa Estadual de DST/Aids, Noaldo Lucena, os locais foram escolhidos por serem áreas com grande fluxo a partir das 17h, em que as pessoas estão saindo do trabalho e das escolas.

Na zona Norte a abordagem será feita na Avenida Noel Nutels, na entrada do Conjunto Manoa. A  concentração na zona Sul será no cruzamento das avenidas 7 de Setembro e Eduardo Ribeiro, no Centro.  Na zona Oeste as equipes estarão no cruzamento das avenidas Constantino Nery e Pedro Teixeira e na zona Leste as abordagens serão feitas no Shopping Grande Circular e no Terminal 4.

“As pessoas receberão materiais informativos com formas de prevenção. Toda a pessoa com vida sexual ativa e que podem incorrer em comportamento de risco, como ter relações sexuais sem o uso do preservativo, deve no mínimo fazer o teste de HIV, uma vez ao ano. Atualmente a faixa etária de 17 a 30 anos são os que mais possuem o diagnóstico da doença no Estado”, disse Lucena.

Levantamento da Coordenação Estadual de DST/Aids mostra que a faixa etária mais atingida pelo HIV continua a ser a de jovens adultos. Pessoas que têm entre 20 e 34 anos respondem por 54% do total de casos registrados desde 2007. Já os que têm entre 35 e 49 anos concentram 33% do total de registros, respondendo pelo segundo grupo etário mais atingido.

O estado do Amazonas disponibiliza o exame, inclusive o teste rápido, nos Centros de Testagem e Aconselhamento, instalados em unidades de saúde do Estado e dos municípios e realiza campanhas permanentes de alertam para as medidas de prevenção.

“Os exames podem ser realizados na Fundação de Medicina Tropical do Amazonas, Fundação Alfredo da Mata e Posto de Saúde do bairro Monte das Oliveiras. As atividades têm como público-alvo a população com vida sexual ativa, até os idosos devem se prevenir utilizando o preservativo”, explicou Noaldo Lucena.

Aids no Brasil

Resultado do Boletim Epidemiológico Aids/DST 2010, divulgado nesta quarta-feira (1º) pelo Ministério da Saúde, reforça tendência de queda na incidência de casos de Aids em crianças menores de cinco anos. Comparando-se os anos de 1999 e 2009, a redução chegou a 44,4%. O resultado confirma a eficácia da política de redução da transmissão vertical do HIV (da mãe para o bebê).

Os novos números da Aids no Brasil, atualizados até junho de 2010, contabilizam 592.914 casos registrados desde 1980. A epidemia continua estável. A taxa de incidência oscila em torno de 20 casos de Aids por 100 mil habitantes. Em 2009, foram notificados 38.538 casos da doença.
Observando-se a epidemia por região em um período de dez anos – 1999 a 2009 – a taxa de incidência no Sudeste caiu (de 24,9 para 20,4 casos por 100 mil habitantes).

Nas outras regiões, cresceu: 22,6 para 32,4 no Sul; 11,6 para 18,0 no Centro-Oeste; 6,4 para 13,9 no Nordeste e 6,7 para 20,1 no Norte. Vale lembrar que o maior número de casos acumulados está concentrado na região Sudeste (58%).

O tratamento das DST melhora a qualidade de vida do paciente e interrompe a cadeia de transmissão dessas doenças. O atendimento e ao tratamento são gratuitos nos serviços de saúde do SUS.

Mas, em relação aos jovens, pesquisa inédita aponta que, embora eles tenham elevado conhecimento sobre prevenção da Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis, há tendência de crescimento do HIV. O levantamento feito entre jovens, realizado com mais de 35 mil meninos de 17 a 20 anos de idade, indica que, em cinco anos, a prevalência do HIV nessa população passou de 0,09% para 0,12%.

O estudo também revela que quanto menor a escolaridade, maior o percentual de infectados pelo vírus da Aids (prevalência de 0,17% entre os meninos com ensino fundamental incompleto e 0,10% entre os que têm ensino fundamental completo).

Não se pega Aids

• fazendo uso de vasos sanitários, copos, talheres, roupas ou sabonetes;
• por saliva, suor ou lágrima;
• dando abraços, fazendo carícias ou dando aperto de mão;
• por picadas de mosquito, pulgas, piolhos, percevejos o outros insetos
• em praia, rio ou piscina
• em assento do ônibus, metro, estádios, hospitais, escolas, igrejas ou parques.
• por ingestão de comidas e alimentos;
• ao se fazer doação de sangue com material descartável

Medidas Preventivas

• uso de preservativos nas relações sexuais
• redução do número de parceiros sexuais
• uso de seringas descartáveis
• controle do sangue doado através de testes anti-aids
•esterilização eficiente do instrumental médico, odontológico e similares

Fonte: Portal Amazônia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s