Monstruosidade: Pai injeta vírus do HIV em seu filho bebê

Existem pessoas cruéis, existem criminosos, mas acho que poucas vezes ouvi falar de alguém tão desgraçado do que o pai de Brryan Jackson. Brian Stewart tinha um relacionamento complicado com Jennifer Jackson, que ficou grávida em 1991. Ele não reconheceu a paternidade, mas os testes provaram o contrário.

Quando ela levou seu filho de 11 meses de idade para o hospital com asma algo mudou. Ele passou a estar sempre doente. Visitando diversos médicos e descartando diferentes diagnósticos, Brryan descobriu que era portador do vírus HIV em 1996.

A contaminação do garoto era um mistério, afinal ele não nasceu com o vírus, não havia feito uma transfusão de sangue e logicamente não tinha vida sexual. Foi então que Jennifer lembrou que naquela visita ao hospital em 92 ela deixou seu filho sozinho com Brian.

Ele era responsável por tirar sangue das pessoas no hospital e já havia ameaçado usar uma seringa com sangue contaminado como arma.

O julgamento foi complicado pois ninguém havia testemunhado o ato, mas diversas pessoas confirmaram que ele queria se livrar da família, não queria pagar pensão e que ele tinha acesso a sangue contaminado.

Por fim ele foi condenado à prisão perpétua e o juiz disse ao dar o veredito que Brian era tão ruim quanto o pior criminoso de guerra. “Eu acredito que quando deus finalmente chamar você, você vai queimar no inferno por toda a eternidade”, concluiu.

Hoje Brryan tenta viver normalmente, vai ao colégio, tem planos para a faculdade e faz parte do time de líderes de torcida. Claro que não são só flores, ele já teve que se afastar de amigos por pedido dos pais deles, geralmente não é convidado para festas de aniversário e não pode usar o bebedouro do colégio. Brryan toma diariamente 23 pílulas, 3 medicamentos intravenosos e 2 injeções.

Ele atualmente faz campanha pelas pessoas HIV positivas, pensa em entrar para a política e diz que perdoou o pai. Seus amigos afirmam que ele é uma pessoa muito positiva e que faz de tudo para alegra-los. Brryan faz parte do projeto Kindle, que organiza uma colônia de férias para crianças com o vírus da AIDS.

Quando chagou lá, há 7 anos, Brryan chorava muito e era tímido, mas agora ele ajuda crianças a passarem por este difícil momento.

O garoto é um exemplo de como superar problemas na vida, diz que as vezes acorda de ma maneira que não quer sair da cama, mas eu não perdoaria este cara nunca por ter acabado com a minha vida ainda quando bebê.

Fonte: FátimaNews

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s