Aids é assunto de mesa redonda na Acic no Dia Mundial de Luta contra a doença

Uma mesa redonda com especialistas é o evento que Cubatão promove nesta quinta-feira, 1º de dezembro, para marcar o Dia Mundial de Luta contra a Aids. Aconteceu na sede da Acic – Associação Comercial e Industrial de Cubatão (Rua Bahia, 171 – Vila Paulista), às 9h30, com participação da infectopediatra Marcia Sucumine; da enfermeira do Serviço de Atendimento de Doenças Transmissíveis, Angela Maria Oliveira Maia; do coordenador Especial de Igualdade Racial e Étnica, Julio Evangelista dos Santos Júnior; da presidente do Conselho Municipal da Condição Feminina, Genilde Josino Spina; de Pierre Freitaz, militante dos Direitos Humanos da População LGBT; e da Irmã Alódia Maria, coordenadora diocesana da Pastoral DST/Aids.

Segundo a diretora do Departamento de Vigilância à Saúde de Cubatão, Maria Adelaide Gonzalez, a doença, de acordo com relatos dos próprios pacientes, é ainda carregada de mitos e preconceitos. “Promover o dialógo com especialistas de várias áreas, permitindo a interação do público é uma maneira de contribuir para mudar isso”, afirma. Outra ação fundamental é diagnosticar casos e conscientizar sobre a seriedade no tratamento. “Esta semana, inclusive, foram intensificadas, na rede de atenção básica (UBSs e PSFs), as coletas de sangue para exames laboratoriais”.

Pedágio – O mote escohido para a campanha de conscientização é: “Sem preconceito. Sem discriminação. Qualquer pessoa pode pegar Aids”. Reforçando essa ideia, um pedágio de conscientização será promovido, também na quinta-feira, dia 1º, das 13h30 às 16 horas, no cruzamento das avenidas Joaquim Miguel Couto e Nove de Abril. Serão distribuídos panfletos, preservativos e brindes com divulgação do CTA – Centro de Testagem e Aconselhamento.

CTA – O serviço funciona na Rua Dom Pedro I, nº 104, na Vila Nova, integrado ao Programa Municipal DST/Aids e Hepatites e ao SADT – Serviço de Atendimento às Doenças Transmissíveis. O local recebe pacientes encaminhados pelos prontos socorros ou pela rede de atenção básica. Lá, eles têm, à disposição, uma equipe multiprofissional com médico infectologista, pediatra, ginecologista, urologista, nutrólogo e outros profissionais da área da Saúde, como farmacêutico, enfermeiro, técnico e auxiliar de enfermagem, além de psicólogo e assistente social. Por mês, cerca de 300 pacientes recebem o coquetel anti-Aids no CTA. Alguns, após avaliação social, ganham cesta básica de alimentos. Há também o incentivo de vale-transporte a fim de que sejam contínuos no tratamento.

É norma do serviço a garantia do sigilo para que as pessoas sintam-se acolhidas e motivadas a se cuidarem, afastarem a idéia da morte e a levarem uma vida praticamente normal. “Nossa luta é pela adesão ao tratamento. Por conta do preconceito e do medo da exclusão social, muitos optam, equivocadamente, pelo pior caminho, que é não se tratar. Nesses 30 anos de epidemia em todo o mundo, o preconceito social continua sendo o maior desafio”, afirma Dayse de Souza, coordenadora do Programa DST/Aids cubatense.

Fonte: Prefeitura de Cubatão

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s