Colombo (PR) está entre os 100 municípios com maiores incidências de Aids

Colombo está entre os 100 municípios do país com mais de 50 mil habitantes que tem uma das maiores taxa de incidência de casos de Aíds notificados no país. O município ocupa a 91ª posição no ranking que é liderado por Porto Alegre. Em 2010 foram 30,7 casos para cada 100 mil habitantes. Pinhais ocupa o 8º lugar. As 14 primeiras cidades do ranking são do sul do Brasil.

Os dados são do Boletim Epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde. Segundo informações do Programa DST/Aíds da Secretaria Municipal de Saúde existem hoje em acompanhamento em Colombo, 494 pessoas que vivem com o HIV/AIDS. “É importante esclarecer que se a pessoa já usa remédios (coquetel) para Aids , ela é considerada “pessoa que vive com Aids”, se a pessoa faz controle e acompanhamento e sua imunidade está controlada o que justifica não iniciar tratamento com remédios para AIDS, ela é uma “pessoa portadora do HIV”, esclarece o coordenador do programa Municipal DST/Aids, Tadeu Roger Volski.

“Portanto das 494 pessoas em acompanhamento no setor da AIDS de Colombo, 241 são pessoas com Aids e 253 são portadores do HIV”, destaca. Volski ressalta que muitas pessoas residentes em Colombo realizam tratamento para o HIV/Aids em outros municípios como Curitiba e região metropolitana. Elas mudam para Colombo e continuam a tratar em outros locais e não fazem parte das estatísticas do município. Além disso, há alguns anos o serviço de tratamento da Aids era ofertado somente em Curitiba. Colombo iniciou o atendimento no ano de 2000.

Para o coordenador do Programa DST/Aids os números são preocupantes. A cada ano é registrada uma média de 60 novos casos no município. “Os dados são preocupantes quando vemos apenas aumentar a quantidade de pessoas que descobrem serem portadoras do vírus do HIV, ou seja, anualmente são esperados que no mínimo 60 pessoas descubram serem portadoras do HIV em Colombo”, diz Volski.

Dados do Centro de Testagem e Aconselhamento de Colombo mostram que só em 2011, 65 pessoas descobriram que são portadoras do HIV. O coordenador lembra que há diferença entre Aíds e HIV.

Pode passar vários anos para a Aíds se manifestar em uma pessoa portadora de HIV. “Vale a pena frisar que a incidência é de AIDS, pois não se notifica HIV nos dados de saúde. A AIDS é uma doença que pode demorar para se manifestar em portadores do HIV. Por exemplo, dos 65 pacientes que descobriram serem soropositivos para o HIV, apenas 3 pessoas foram notificados com AIDS, porém outros 23 viraram AIDS este ano, sendo que já eram diagnosticados em anos anteriores”.

Sexo

Entre portadores do HIV e Aids, em Colombo existem 262 mulheres e 232 homens. Porém neste ano houve um aumento no número de homens diagnosticados com o HIV. Dos 65 novos casos, 40 são do sexo masculino. A maioria deles são jovens, com até 30 anos, e homossexuais das classes C, D, e E. Volski ressalta que as pessoas diagnosticadas este ano podem ter se contaminado com o HIV há muito tempo. “Uma pessoa pode ser portador do HIV e nem saber. Isso explica a campanha de 1º de dezembro em 2011 que o Ministério lançou, onde o público alvo é o público homossexual de 15 a 24 anos”, lembra. Em Colombo a faixa etária predominante é de 20 a 49 anos nos dois sexos, na maioria com baixa escolaridade. Mortalidade A mortalidade por AIDS em Colombo ficou em menos de 1% em 2011.

Quanto antes se sabe o diagnóstico, melhor é a sobrevida do paciente, e também a adesão ao tratamento é fundamental para contribuição do futuro da saúde da pessoa que vive com o HIV/AIDS. O programa assistencial é enfatizado na questão da realização do diagnóstico precoce do HIV e respecti vo tratamento, para contribuir com a melhoria da qualidade de vida da pessoa vivendo com HIV/Aids. “Por isso aumentamos o número de testagem para o HIV no município e possuímos a testagem rápida com resultado em 15 minutos”, ressalta o coordenador.

Prevenção

O coordenador do programa Municipal DST/Aids, Tadeu Roger Volski, ressalta que a forma mais eficaz de prevenção da Aíds continua sendo o uso do preservativo. “Há hoje em dia o preservativo feminino, porém estão disponíveis para a população somente os preservativos masculinos de forma gratuita e irrestrita”.

A realização do teste do HIV também é uma forma de prevenção, pois quanto antes se descobre a presença do vírus, melhor será a qualidade de vida da pessoa que vive com AIDS. Ações O Programa DST/Aids da Secretaria Municipal de Saúde realiza a distribuição gratuita de preservativos masculinos em todas as Unidades de Saúde, além de palestras de prevenção em empresas, indústrias, grupos ou associações e escolas do município. A testagem para o HIV é ofertada em diversos locais e fora do horário de atendimento.

A equipe realiza ainda abordagens durante a noite em casas noturnas e pontos de prostituição entregando preservativos e esclarecendo a importância da prevenção. Serviço A testagem rápida para o HIV (com resultado em 15 minutos) pode ser feita no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) de Colombo, na Rua José Maria da Silva Paranhos, 513 no Jardim Planalto. Qualquer pessoa pode fazer o teste rápido que é gratuito e o resultado é sigiloso. Basta agendar horário pelo fone 41-3606-0730.
Fonte: Jornal de Colombo

Anúncios

3 comentários sobre “Colombo (PR) está entre os 100 municípios com maiores incidências de Aids

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s