Governo e ONGs divergem sobre assistência em HIV/Aids no DF

O primeiro ponto levantado pela reportagem especial do ParouTudo a respeito da realidade em DST/Aids no DF é a assistência a quem vive com o vírus HIV e/ou já desenvolveu a doença, a aids.

Veja a resposta do movimento social e do governo local para a pergunta: Qual é a análise que pode ser feita da rede de atendimento a quem vive com HIV/Aids na capital federal?

Resposta do Fórum de ONGs/Aids do DF

“A rede existe e tem bons profissionais trabalhando. Acontece que são poucos profissionais, o que deixa um gap muito grande entre o número ideal e a realidade. Outro problema é que não temos psicológos, dermatologistas, oncologistas, ginecologistas  etc, profissionais que são fundamentais para a assistência integral à Pessoa que Vive com HIV-Aids (PVHA).

Outro grande problema é a estrutura deficitária da rede hospitalar e ambulatorial do DF. As PVHA não conseguem fazer exames, não conseguem remédios para tratar doenças oportunistas, e, se precisam de internação, também não conseguem.”

Resposta da Gerência de DST/Aids, da Secretaria de Saúde do DF.

“Há uma variedade de situações dependendo do local onde a pessoa HIV+ vive e busca apoio. Sem dúvida alguma, o amparo de natureza social é o mais deficitário.

As condições dos serviços de saúde da SES/DF estão muito precárias. Para a atenção às PVHA, avalio que a situação destaca-se positivamente na medida em que há referências que, bem ou mal, funcionam.

Há casos extremos, como o agora vivido na Unidade de Referência de Ceilândia, onde não há profissional em medicina, pois a pessoa que lá trabalhava entrou em licença maternidade e a Secretaria de Saúde não consegue captar ou manter um profissional para o atendimento. Lastimável!

Tradicionalmente temos bons retornos dos usuários dos serviços de referência onde se concentra equipe multidisciplinar que, em geral, acolhe e encaminha questões complexas trazidas pela clientela.”

Fonte: Parou Tudo

Abertas as inscrições para o Encontro Nordeste de Adolescentes e Jovens Vivendo com HIV e Aids

Os interessados em participar do Encontro Nordeste de Adolescentes e Jovens Vivendo com HIV e Aids têm até o próximo dia 07 de julho para realizar a inscrição, informam os organizadores do evento. A reunião acontece de 09 a 12 de agosto, em São Luís, e vai discutir controle social, promoção de defesa, qualidade de vida, adesão ao tratamento e a reinserção social e familiar dos jovens soropositivos.

Podem se inscrever adolescentes e jovens vivendo ou convivendo com HIV e aids, de 15 a 29 anos, que estejam em condições de viajar e participar das atividades do evento. No ato de inscrição, os participantes deverão assumir o compromisso de multiplicar as informações adquiridas para outros jovens em suas cidades.

De acordo com o coordenador do evento, Jadilson Neto, os participantes terão direito à hospedagem e alimentação. As despesas com passagens serão de responsabilidade dos jovens. “É importante que os Estados e municípios apoiem a ida desses jovens, pois muitos ainda não se inscreveram porque não conseguiram apoio”, disse.

O encontro regional está sendo realizado pela ONG maranhense Solevida, com financiamento do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, em parceria com a Coordenação de DST/Aids do Maranhão e Coordenação Municipal de DST-Aids de São Luís.

Acesse aqui a ficha de inscrição.

Fonte: Agência de Noticias da AIDS

Saúde promove campanha de prevenção à DSTs em julho em Goiás

 Aids não tira férias. Com esse título a Secretaria da Saúde realiza no mês de julho campanha para promover a prevenção das doenças sexualmente transmissíveis (DST), incluindo HIV/Aids. Durante todo o mês vão ser realizadas ações em todo o Estado, através das secretarias e regionais de saúde, visando estimular o uso de preservativo nas relações sexuais. Nos municípios onde há maior fluxo de turistas durante o período de férias, como as ribeirinhas ao Rio Araguaia, e em Caldas Novas, Pirenópolis, Uruaçu, entre outras, serão afixados outdoors alusivos à campanha.

Mais informações: (62)( 3201.3784

Fonte: Notícias de Goiás

EUA lançam projeto para incentivar testes rápidos de Aids em farmácias

Autoridades de saúde dos Estados Unidos lançaram, nesta quarta-feira (27), um programa para incentivar a implementação de testes rápidos de Aids em farmácias.

A campanha do Centers for Disease Control and Prevention (CDC) vai oferecer gratuitamente exames que detectam a infecção em drogarias e clínicas dentro de lojas em 24 cidades e comunidades rurais.

As autoridades esperam que o teste para o vírus da Aids se torne um serviço de rotina em farmácias, como o aferimento da pressão arterial e a aplicação de vacinas contra a gripe.

“Ao trazer o teste do HIV para as farmácias, acreditamos que podemos alcançar mais pessoas, tornando o exame mais acessível e reduzindo o estigma associado à Aids”, afirma Kevin Fenton, responsável por supervisionar os programas de prevenção ao HIV do CDC.

Os testes já estão disponíveis em sete lugares, e a agência em breve pretende escolher 17 novos locais. O exame consiste na inserção de um cotonete no interior da boca e leva cerca de 20 minutos para obter um resultado preliminar.

 

Dia Nacional do Teste de HIV

O projeto foi lançado no Dia Nacional do Teste de HIV, 27 de junho, que tem como lema “Faça o teste. Assuma o controle.” (Take the test. Take control)

A CDC recomenda que todas as pessoas com idades entre 13 e 64 sejam testadas para o HIV pelo menos uma vez.

Muitas pessoas não sabem que têm o HIV. Mais de 1 milhão de pessoas vivem com a doença nos Estados Unidos, mas 1 em cada 5 não sabem que estão infectadas.

Este ano marca o 19º Dia Nacional do Teste de HIV, organizado anualmente pela Associação Nacional das Pessoas com AIDS com o apoio da CDC e AIDS.gov.

Segundo as autoridades, conhecer seu status de HIV é se capacitar. Quando uma pessoa sabe se está infectada ou não, ela pode cuidar melhor de si mesma.

Fonte: Cenário MT

Cineclube de junho terá como tema a Homofobia em MS

O projeto Cineclube exibe neste sábado (30/06) o filme “Filadélfia”, que aborda a homofobia.

O filme “Filadélfia” (EUA/Drama/1993/125min/13anos) apresenta com muita sensibilidade o terrível efeito social da AIDS, a questão do preconceito, sua dor e suas origens contra homossexuais e a relação mútua e confusa do preconceito frente a estas questões na sociedade do final do século XX.

Lançado em abril de 2008, O projeto “Cineclube” tem por objetivo reunir profissionais e acadêmicos dos cursos de Psicologia de todas as universidades locais, além da sociedade em geral, para a discussão de temas relacionados ao comportamento e à subjetividade humana, através da sétima arte.

Após a apresentação do filme, o público presente participa de um debate, cuja mesa de discussão é composta por profissionais de diversas áreas de conhecimento. E para auxiliar os estudantes universitários com as atividades extracurriculares, o CRP-MS ainda fornece uma declaração de participação no Cineclube.

O projeto é desenvolvido pelo Conselho Regional de Psicologia da 14ª Região (CRP-MS), em parceria com a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS). A sessão é gratuita e começa às 14h, na sala Rubens Corrêa do Centro Cultural José Octávio Guizzo.

O Centro Cultural José Octávio Guizzo está localizado na Rua 26 de Agosto, 453 – centro.

Mais informações podem ser obtidas no CRP-MS através do telefone 3382-4801.

Fonte: Capital News

Abertas as inscrições para o 2º Prêmio Cazuza de Vídeo

As inscrições para o 2º Prêmio Cazuza de Vídeo já estão abertas, com data limite de envio dos cadastros até 31 de outubro de 2012.

Os interessados deverão produzir vídeo, de até 27 segundos, com foco na prevenção do HIV/Aids e estimulo ao uso de preservativos.

“A qualidade dos trabalhos surpreendeu. Por isso estamos lançando o segundo prêmio com um calendário maior”, diz Lucinha Araújo, mãe de Cazuza, que premiará os três primeiros colocados com notebooks.

Fonte: AthosGLS

Içara promove o IV Seminário de Redução de Perdas e Danos

A Administração Municipal de Içara, através da secretaria de Saúde, Subsecretaria de Políticas Sobre Drogas e Programa Municipal DST/HIV/AIDS, realizou nesta quinta-feira, dia 28, em comemoração a semana de luta contra as drogas, o quarto Seminário Municipal de Redução de Danos: AIDS/Drogas. O evento aconteceu no salão São Donato, Centro da cidade.

No local aconteceram, desde as 8 horas, mesas de debates sobre os temas: A realidade das drogas no cenário brasileiro e as políticas públicas; Prevenção também se ensina; Criminalidade e Aspectos Legais; Fé na prevenção; A droga como desafio para as políticas Públicas. Os assuntos foram abordados pelos profissionais Jair Arruda (enfermeiro), Marcos Vaz Pinto (pedagogo), Fernando de Faveri (delegado), e Padre Eloir Borges, também subsecretário de Políticas Públicas Sobre Drogas do município.

O seminário tem como objetivo discutir políticas de saúde com foco na redução de danos, que de acordo com o secretário de Saúde, Fernando Mazzuchetti, aborda um conjunto de estratégias individuais e coletivas que pretendem diminuir as conseqüências prejudiciais do consumo de álcool e outras drogas. “É possível diminuir o numero de casos através de um intenso trabalho de conscientização e a criação da subsecretaria de Políticas Sobre Drogas vem de encontro com a proposta, pois encaramos a situação de frente reunindo nesta grande proposta diversos segmentos da sociedade”.

“Içara está na frente. Implantamos a subsecretaria, iniciamos uma forte campanha, e conseguimos unir grupos diferenciados da sociedade. Este trabalho é indispensável para vencermos o grande mal do século, que são as drogas, prevenindo e fazendo com que as pessoas se conscientizem e ajudem a disseminar esta idéia”, destacou Padre Eloir Borges.

De acordo com a coordenadora do Programa DST/AIDS do município, Samira Abdenur, o uso de drogas ainda é um dos maiores facilitadores para a infecção do vírus HAIV. “Em Içara 40% dos infectados pelo vírus HIV se deu devido ao uso de drogas o que acaba se tornando uma cadeia de transmissão. Com certeza o usuário de drogas se torna mais vulnerável”, explica.

Fonte: Difusora 910