SBGG alerta para aumento do número de casos Aids em idosos

De acordo com o Boletim Epidemiológico do Departamento de DST e Aids, do Ministério da Saúde, de 1980 até junho de 2011, foram notificados 16.838 casos de Aids em pessoas com idade igual ou superior a 60 anos. Embora o número absoluto de casos ainda seja pequeno em comparação com outras faixas etárias, o ritmo de crescimento da doença entre os idosos é preocupante, afirma a presidente da Sociedade Brasileira de geriatria e Gerontologia, Nezilour Lobato Rodrigues.

A geriatra explica que a maior dificuldade se dá pelo fato de que o atual idoso viveu numa época em que o uso de preservativo não era difundido. Para esses idosos o preservativo é um elemento pouco utilizado anteriormente o que gera uma dificuldade técnica de utilização. Além disso, essa faixa etária não se preocupa mais com a prevenção de gravidez, o que normalmente é um estímulo à adoção da camisinha pelos jovens. “Se é difícil convencer uma geração jovem que teve educação sexual e, mesmo assim, não usa camisinha, imagine convencer um idoso que nunca usou preservativo” lembra.

Nezilour alerta para a importância de se desenvolver campanha de prevenção da DST/Aids voltadas para esse público. “Estamos diante de uma nova geração de idosos, muito mais ativos sexualmente, mas a escassez da inclusão desse grupo etário em campanhas de prevenção faz com que as pessoas se sintam à margem dos riscos de serem contaminadas pelo HIV, o que sustenta comportamentos inapropriados”. Para a presidente da SBGG as campanhas devem incentivar desde o uso do preservativo até o acompanhamento médico em casos de comportamento de risco. “O diagnóstico tardio é um dos maiores vilões da luta contra a doença, quando ela se apresenta em idosos, portanto tornar o teste para HIV parte da rotina de exames é tão importante quanto controla o diabetes, por exemplo,”, conclui a especialista.

Fonte: Panorama Brasil

Ação leva testes rápidos gratuitos de HIV para o Ceasa, no Recife

O Pátio de Milho do Centro de Abastecimento e Logística de Pernambuco (Ceasa) recebe, nesta quinta-feira (29), uma equipe de técnicos do programa estadual de doenças sexualmente transmissíveis e aids (DST/Aids), que vão disponibilizar testes gratuitos de HIV para a população. A testagem faz parte das ações do Dia Mundial de Luta contra a Aids, comemorado no sábado (1º). O Ceasa do Recife recebe, em média, 36 mil pessoas por dia.

Além da testagem, os técnicos vão orientar a população sobre DST e aids e distribuir camisinhas e material informativo. Em entrevista no Bom Dia Pernambuco, o coordenador estadual de DST/Aids, François Figueirôa, lembrou que o meio mais comum de se transmitir a doença é ainda através de relações sexuais sem proteção, embora a população tenha de ficar atenta a outras formas. “Não podemos hoje compartilhar nenhum material que corte, alicate de unha, lâminha de barbear, agulha de tatuagem ou para furar a orelha”, alerta Figueirôa.

Somente em Pernambuco, 17.459 casos de aids foram registrados desde 1983, sendo 383 de janeiro a 17 de julho deste ano, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde. No Brasil, o Ministério da Saúde estima que são aproximadamente 530 mil pessoas portadoras do vírus HIV, sendo que 130 mil desconhecem essa situação.

Fonte: G1

Novos casos de Aids caem pela metade em Ribeirão

O número de novos caso de Aids em Ribeirão Preto caiu pela metade em 12 anos. A cidade foi a que teve a maior redução do índice para cada 100 mil habitantes no estado de São Paulo. Em 2000, o número era de 60,4 para cada 100 mil. Já em 2011, último número oficial divulgado pela Secretaria da Saúde do Estado, o número é de 30,2 para cada 100 mil habitantes.

O número de casos confirmados na região também caiu 39% no mesmo período. Em todo o Estado, a queda foi de 36%.

Além disso, a cidade teve uma redução de mais de 60% no número de mortes causados pela doença.

Apesar da grande redução, os índices de novos casos em Ribeirão Preto ainda são quase o dobro das novas infecções para cada 100 mil habitantes no Estado, que equivalem a 18,5.

“A redução dos casos em todo lugar é multifatorial. Um dos pontos foi que trabalhamos com a questão do preconceito e discriminação e desmistificamos que só os grupos de risco podiam pegar Aids, para todas as pessoas que por algum motivo entraram nesse grupo de risco”, explica a coordenadora do programa DST/Aids, Fátima de Almeida Lima Neves.

Diagnóstico precoce

Além disso, Fátima diz que os portadores da doença tiveram novas perspectivas de vida diante do avanço terapêutico do antirretroviral, que desde 1996 passou a ser distribuído.

“Outro fator importante foi o diagnóstico precoce com os estímulos à população. Dessa forma, eu tenho como tratar um portador do vírus ainda sem sinais da doença e faço um monitoramento dessa infecção no organismo desse paciente, de modo que se precisar usar uma medicação isso será feito num momento oportuno”, explica.

Durante a campanha contra a Adis deste ano, todas as unidades estão fazendo o teste rápido e o convencional. Em 2013 a expectativa é capacitar mais quatro equipes de enfermagem para realização de testes rápidos da doença em mais unidades de saúde.

Fonte: Jornal A Cidade

Portadores de AIDS totalizam 500 mil na China

Na véspera do 25º Dia Mundial contra a Aids, o Ministério da Saúde da China divulgou nesta quinta-feira (29) que os portadores de HIV totalizam cerca de 500 mil no país. O sexo é o principal meio de transmissão da epidemia na China. A contaminação entre os homossexuais masculinos registra uma alta considerável.

O dado divulgado pelo Ministério mostra que, nos últimos dez anos, com a difusão das maneiras de se prevenir a transmissão de mãe para filho, a taxa de contaminação reduziu de 34,8% para 7,4%, protegendo cerca de 3400 crianças da Aids.

Em janeiro deste ano, o Conselho de Estado lançou o 12º Projeto Quinquenal de Ação para Conter e Prevenir a Aids. De acordo com o plano, o número de novos infectados deve diminuir 25% no final de 2015, em comparação com 2010. A taxa de mortalidade deve baixar 30%.

O Programa da ONU contra a Aids anunciou no dia 20 de novembro que os portadores de HIV e doentes de Aids em todo o mundo somavam 34 milhões até o final de 2011. Neste mesmo ano, 2,5 milhões de pessoas foram contaminadas enquanto 1,7 milhões morreram por causa da doença.

Fonte: CRI Online

MT está em décimo lugar em registro de Aids no país

Em 2011, pelo menos 168 pessoas em Mato Grosso morreram em decorrência da Aids. Dados do Ministério da Saúde revelam que o ano passado foram notificados 660 novos casos da doença.
Este ano, até o mês de junho já foram 284 notificações. Entre os anos de 1980 a 2012 foram 8.404 notificações.
Segundo os dados do Ministério da Saúde, em 2011 a cada 100 mil habitantes com Aids em Mato Grosso, 7,7 são crianças menores de cinco anos de idade. Em Cuiabá a taxa de incidência de casos notificados da doença em 2011 foi de 34,3 para cada 100 mil pessoas. Essa taxa de notificações colocou a capital de Mato Grosso em 10° lugar no ranking das capitais do país.
Entre as cidades de Mato Grosso que tiveram o maior número de notificações da doença o ano passado, além de Cuiabá, estão Primavera do Leste, com 47,2 notificações para cada 100 mil habitantes; Rondonópolis, que teve 37,7 notificações; Cáceres com 28,3; e Várzea Grande que notificou 25,4 casos.
Dados do Ministério da Saúde também revelam que até julho de 2012 foram notificados no Brasil 17.819 casos, já em 2011 foram 38.776 notificações. No próximo sábado (01) será comemorado o Dia Mundial de Combate à Aids e especialistas usam a data para chamar atenção para a gravidade da doença e lembrar que apesar da dade nos números, lam uma pequena de um ano para o número de casos n ainda é alto.
Fonte: JCorreio

Projeto Jaraqui na luta contra a Aids neste sábado (1º)

No Dia Mundial de Luta Contra a Aids, 1º de dezembro, a tribuna do Projeto Jaraqui, neste sábado, a partir das 10h, fará uma avaliação do aumento dos casos da doença no Amazonas.

O Fórum LGBT e o Movimento das Cidadãs Soropositivas representados, respectivamente, por Jeferson Pereira e Disney Diniz, vão expor a situação do atendimento aos pacientes e a necessidade de os Governos fortalecerem as campanhas de conscientização e prevenção às Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs).

Em 2011, quase três novos casos de Aids foram diagnosticados a cada 24 horas no Amazonas. Esse avanço da doença representou 801 diagnósticos de novos portadores do vírus, nos meses de janeiro a outubro do ano passado.

A Coordenação Estadual de DST/AIDS calculou em 7,5 mil os casos da doença no Amazonas. Desse total, cerca de cinco mil estavam fazendo o acompanhamento médico na rede estadual. A estimativa é que para cada caso confirmado, existam outros quatro casos desconhecidos pela falta do exame.

Fonte: A Critica

Dia Mundial de Luta Contra a Aids tem ato público na próxima segunda-feira

A entrada na Floresta Edmundo Navarro de Andrade já recebeu o Laço Vermelho, símbolo da luta contra a Aids.

O local foi escolhido para a realização ato público pelo Dia Mundial de Luta Contra a Aids, que acontecerá na segunda-feira (3) às 8 horas. Toda a população está convidada a participar.

Iniciada de 22 de novembro pela Fundação Municipal de Saúde de Rio Claro, a campanha do Laço Vermelho 2012 está promovendo a realização do exame que identifica o HIV, com foco no diagnóstico precoce da infecção pelo vírus.

O atendimento nos postos fixos de coleta termina nesta sexta-feira (30). Os postos fixos funcionam no CTA (rua 6, 3265, Santana) e no Serviço de Assistência Especializado (rua 11, 2626, Alto do Santana), onde o exame pode ser feito das 8 às 12 horas, além das unidades de saúde que, também até sexta-feira, disponibilizam o exame das 8 às 9h30.

Já o Centro de Testagem e Aconselhamento itinerante estará no Jardim Público na sexta-feira (30), das 14 às 18 horas, e também no sábado (1) em dois períodos, de manhã, das 8 às 14 horas, e à tarde, das 14 às 18 horas.

“As pessoas devem procurar pelo exame, uma vez que o diagnóstico precoce promove melhor qualidade de vida ao portador do HIV”, afirma Neide Heloisa Outeiro Pinto, coordenadora do programa DST/Aids da Fundação de Saúde de Rio Claro, acrescentando que a partir da identificação do vírus a saúde deste portador será monitorada e muitas vezes nem se faz necessário o uso de medicação, apenas controle e manutenção da saúde.

Fonte: Jornal Cidade