Número de casos de aids aumenta entre heterossexuais do CE, diz Sesa

O número de casos de aids diagnosticados em heterossexuais teve um crescimento de 28% nos últimos dois anos, segundo dados do boletim epidemiológico divulgado na sexta-feira pela Secretaria de Saúde do Estado do Ceará. Em 2009, foram registrados 313 casos entre a população que se identifica como heterossexual, número que subiu para 401 em 2011. Os números de 2012 ainda não foram divulgados mas, de acordo com o médico infectologista Anastácio Queiroz, diretor do Hospital São José, a tendência é de que supere o do ano passado.

Para o médico, é necessário que o poder público e as organizações não governamentais (ONGs) retomem as campanhas educativas. “É como se ao deixar de falar na doença, ela deixe de existir e as pessoas relaxam nos cuidados, passam a não usar preservativos”.

Além disso, segundo Anastácio Queiroz, o diagnóstico costuma ser tardio, o que possibilita que mais pessoas sejam contaminadas. “Se o homem não sabe que é HIV positivo ele contamina o parceiro ou a parceira sem perceber e isso é preocupante, pois apesar do tratamento ter se tornado mais eficaz, o número de pessoas infectadas não para de crescer”.

População geral
Apesar do aumento ser mais acentuado entre as pessoas que se dizem heterossexual, a incidência de aids aumentou em todos os grupos no Ceará, segundo a Secretaria de Saúde do estado.

Em 2011, segundo boletim divulgado pela secretaria, o número anual foi recorde, quando foram confirmados 815 casos de aids. Em 2012, até outubro, 760 casos foram confirmados.

Crianças
Outro dado que chama a atenção no boletim epidemiológico é a transmissão do vírus de mãe para o filho durante a gestação. Em 13% dos casos de mães soropositivas, o bebê nasce HIV positivo. “É uma taxa extremamente alta e é preciso que se verifique o que está acontecendo com essa mãe: deixou de tomar o medicamento? Está tomando de forma inadequada?”. Para o infectologista, se a mãe diagnosticada no início da gravidez como soropositiva fizer o tratamento adequado, o índice de contaminação do filho é muito baixo, menos de 2%.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s