Aumenta 36% o número de mortes de portadores do vírus da aids no Amazonas

Imagem

Aumentou em 36% o número de mortes entre infectados pelo vírus da aids no Estado de janeiro a agosto deste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado. Os dados são da Fundação de Medicina Tropical do Amazonas (FMT/AM), que alerta ainda para o crescimento de 14% de novos casos da doença.

A FMT registrou 112 óbitos relacionados ao HIV nos oito primeiros meses de 2013. De janeiro a agosto do ano passado foram 82 mortes. As novas contaminações subiram de 557, em 2012, para 640, o equivalente a 14%, na comparação entre janeiro e agosto de cada ano.

O especialista em infectologia da FMT, Antônio Magela, avalia que as novas contaminações notificadas não representam o total de portadores do vírus HIV no Estado. Ele destaca que o Amazonas reproduz o índice nacional catalogado pelo Ministério da Saúde, indicativo de que um em cada quatro contaminados não sabe que está infectado e atua como transmissor da doença. “Fazemos analogia dos dados oficiais com a ponta de um iceberg, ou seja, apenas uma pequena mostra da dimensão da situação”, explica.

Magela observa que os novos casos estão, em grande maioria, relacionados ao chamado ‘comportamento de risco’, caracterizado pela promisquidade e falta de prevenção nas relações sexuais. O infectologista ressalta que os adolescentes estão iniciando a vida sexual mais cedo, proporcionalmente aos idosos, que prolongam as atividades sexuais, ambas as faixas etárias sem fazer uso do preservativo. “Temos mais pessoas expostas ao vírus”.

Para o especialista, a negligência quanto o uso de preservativos está ligada também às novidades na qualidade de vida dos portadores da doença. “Hoje, o Brasil é referência mundial no tratamento da aids. Aqui no Amazonas, por exemplo, nós disponibilizamos todos os medicamentos na rede pública”, afirmou.

A FMT chama atenção para o aumento gradativo de mulheres infectadas. Há 20 anos para cada 27 homens contaminados, havia uma mulher. Hoje, a relação está em torno de dois homens para uma mulher. Entre 1986 a agosto de 2013, foram diagnosticados 9.089 casos de aids no Estado. Atualmente, 7.120 pessoas estão em tratamento no Amazonas.

Nesta quinta-feira, começa o 12º Encontro Macrorregional de Coordenadores de Programas de DST/Aids e Hepatites Virais da Região Norte, que reúne especialistas para debater políticas públicas de combate às doenças sexualmente transmissíveis.

Levantamento do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo, referência no tratamento de aids no País, mostrou que um em cada cinco adolescentes com aids acompanhados pelo hospital abandonou o tratamento no ano passado. Foram avaliados 581 adolescentes, de 12 a 17 anos, dos quais 131 estão há pelo menos seis meses sem ir ao médico ou sem voltar ao consultório para nova avaliação. Dos jovens avaliados, a maioria foi infectada pela mãe durante o parto (transmissão vertical).

De acordo com o levantamento anual do Ministério da Saúde, anualmente são registradas em média 36 mil novos casos de aids no país, e em torno de 135 mil pessoas não sabem que estão infectadas.

Fonte: D24AM

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s