Pesquisadores brasileiros e estrangeiros se reúnem em Conferência no Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro sediará, entre os dias 17 e 19 de abril, a XI Conferência Brasil John Hopkins University em HIV/Aids. 

O evento é voltado para médicos e demais pesquisadores e contará, ao longo dos três dias, com palestras sobre a epidemia entre os homens que fazem sexo com homens (HSH), tratamento em mulheres, HIV em idosos, pacientes pediátricos e adolescentes, câncer anal e tuberculose, além de debater os próximos desafios no combate à aids e as questões éticas que envolvem a profilaxia pré-exposição (PrEP). 

Antes do início do evento, estão sendo oferecidas oficinas aos participantes sobre os temas: Resistência a antirretrovirais e tratamento do paciente previamente exposto a antirretrovirais; Complicações do tratamento de HIV: renal, ósseo e metabólico; Oficina para profissionais de saúde não médicos e Coinfecção hepatite / HIV.

Durante a Conferência, será relançado ainda o Guia de Investigação, Manejo e Prevenção das Comorbidades Associadas ao HIV, produzido por profissionais do Instituto de Infectologia Emílio Ribas de São Paulo. A segunda edição do Guia conta com dois novos capítulos, sobre Hipogonadismo e Carcinoma de Canal Anal. 

A publicação visa auxiliar os médicos na prevenção, investigação diagnóstica e manejo terapêutico das principais comorbidades identificadas em pacientes com HIV e será distribuída gratuitamente no evento. 

A conferência é uma realização do Hospital Federal dos Servidores do Estado, do Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas (IPEC) – Fiocruz, da Johns Hopkins University e da Universidade Federal do Rio de Janeiro e conta com o apoio da Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, da Secretaria Estadual de Saúde do Estado do Rio de Janeiro e da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro. 

John Hopkins

A John Hopkins University é uma instituição de ensino superior privada situada em Baltimore, nos Estados Unidos. Foi fundada em 1876 por Daniel Coit Gilman. 
A missão da Universidade é educar os estudantes e cultivar sua capacidade para um aprendizado para a vida toda, fomentar pesquisas originais e independentes e trazer os benefícios das descobertas para o mundo. 

A univerisidade conta com mais de 5 mil alunos de 71 países e possui pesquisas nas mais diversas áreas do conhecimento. Quatro ganhadores do prêmio Nobel são ex-alunos da instituição.

Fonte: Agência de Notícias da AIDS

Morre no Rio de Janeiro Giselle Meirelles, presidente do Grupo Pela Vidda-RJ

O Grupo Pela Vidda (Valorização, Integração e Dignidade do Doente de Aids) do Rio de Janeiro informa “com muita dor e tristeza” o falecimento da jornalista e ativista Giselle Meirelles, natural de Manaus. Atual presidente do Grupo, Giselle, com 41 anos, estava internada desde o dia 22 de fevereiro no Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chegas (IPEC), da Fiocruz, na capital fluminense e teve insuficiência respiratória e hepática.

“Neste momento só podemos lembrar da sua dedicação ao Pela Vidda e ao TransRevolução; e eu particularmente compartilhei inúmeros momentos de alegria e de êxito dela no enfrentamento das iniquidades e exclusão que em geral envolvem o universo Trans”, ressaltou em comunicado Marcio Villard, integrante do grupo e amigo de Giselle. “Ela sempre será uma pisciana com muita vontade de vencer e crescer, mas que a vida aprontou esta peça para todos nós… A sua determinação permanecerá em nossa memória e na história de muitos de nós”, acrescenta.

A TransRevolução é um grupo de convivência destinada à travestis e transexuais, com reuniões abertas no Pela Vidda.

O enterro de Giselle, a primeira presidente transexual do Pela Vidda do Rio de Janeiro, foi nesta segunda-feira, às 14h, no Cemitério do Catumbi (próximo ao Sambródomo).

Fonte: Agência de Notícias da AIDS

Ativistas denunciam falta de medicamentos para doenças oportunistas em São Paulo e pedem distribuição de outros tipos de remédios

Em reunião com ativistas do Fórum de ONGs/Aids do estado de São Paulo nesta sexta-feira, 14 de setembro, Alexandre Gonçalves, do Programa Estadual de DST/Aids, esclareceu dúvidas sobre a distribuição de medicamentos no estado e sobre a falta de alguns tipos de remédios para tratamento de doenças oportunistas. Segundo Alexandre, o medicamento Maraviroc está tendo sua distribuição fracionada temporariamente, mas o Ritonavir, que passou pela mesma situação no Rio de Janeiro, não chegou a faltar em São Paulo, tendo apenas uma quantidade reduzida no período, mas ainda capaz de atender à demanda.

Beto Volpe, representante do Grupo Hipupiara, de São Vicente, pediu ao representante do governo que remédios para tratamento de efeitos adversos decorrentes do HIV/Aids também fiquem disponíveis no CRT e no Hospital Emílio Ribas. Segundo Alexandre, algumas dessas drogas já estão disponíveis e é possível pressionar outras instâncias, como os municípios, para sua inclusão no estoque de medicamentos.

O gestor explicou que a maioria dos medicamentos disponíveis para o tratamento da aids no Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids (CRT) tem uma droga substituta. Desse modo, se algum deles faltar pontualmente, há um medicamento na rede que dê a cobertura. A respeito do Foscarnet, Alexandre tinha explicado na última reunião do fórum que o medicamento, que não possui registro no Brasil, estava parado na Anvisa por causa da greve dos servidores da instituição. A previsão agora é de que o medicamento seja importado para São Paulo até o fim da próxima semana.

Fonte: Agência de Notícias da AIDS

Federação de Bandeirantes do Brasil irá distribuir preservativos e folders sobre DST/Aids durante a Rio+20

Investir na prevenção do HIV é preservar a vida humana, acredita a Federação de Bandeirantes do Brasil. Segundo dados da ONU, desde o início da epidemia, em 1981, já morreram cerca de 18.8 milhões pessoas em decorrência da aids, das quais 3.8 milhões eram crianças. Ou seja, praticamente o dobro de vítimas causadas pela Primeira Guerra Mundial.

Tendo em vista a necessidade de conscientizar os jovens sobre a importância da prevenção das DST/Aids e Tuberculose, doenças que causam sérios impactos ao meio ambiente devido ao grande número de vitimas fatais em todo o mundo, durante a Rio +20 uma equipe do Programa Saúde do Jovem da Federação de Bandeirantes do Brasil (FBB), além de esclarecer dúvidas sobre formas de infecção, prevenção e tratamento, também distribuirá folders informativos e 6 mil preservativos.

Os interessados devem se dirigir ao estande da FBB nos espaços da Cúpula dos Povos na Rio+20, que ocorrerá de 15 a 23 de junho de 2012, no Aterro do Flamengo, Rio de Janeiro.

Fonte: Agência de Notícias da AIDS

HIV: remédio infantil será testado em humanos

As crianças brasileiras com até 13 anos que vivem com HIV/Aids terão em breve um antirretroviral infantil, de administração mais simples. O medicamento está sendo desenvolvido há três anos pela Farmanguinhos, unidade técnico-científica da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

A previsão é que o medicamento já esteja pronto para fabricação em 2015, mas os testes em humanos devem começar no segundo semestre deste ano, em seis centros de pesquisas nos estados de Minas Gerais, do Rio de Janeiro e de São Paulo.

Em vez de três, a criança poderá tomar somente um comprimido, que terá uma formulação adocicada, de sabor agradável, para disfarçar o gosto amargo original do remédio. Além disso, o comprimido será dispersível, para ser dissolvido na água.


Combinação

Segundo a farmacêutica do Departamento de Pesquisas Clínicas da unidade, Marli Melo da Silva, que participa da coordenação do estudo clínico, a combinação também reduz os custos operacionais no processo produtivo, e fica mais fácil dispensar, transportar, armazenar e administrar o medicamento.

“Outra vantagem é que essa formulação dispersível dá mais garantia sobre a dose de princípio ativo, ao contrário do que ocorre quando se divide comprimidos para as crianças”, disse a pesquisadora, que explicou também que, hoje, as drogas prescritas para a população infantil são as mesmas ministradas em adultos, sendo a diferença a diminuição da dosagem, que varia de acordo com o peso, sem considerar a complexidade do metabolismo dos pacientes pediátricos.

O medicamento combinará em um único comprimido três princípios ativos – a lamivudina 30 miligramas + zidovudina 60 miligramas + nevirapina 50 miligramas. A medicação será dissolvida em uma pequena quantidade de água para ser ingerida.

Distribuição

Atualmente, o SUS (Sistema Único de Saúde do Brasil) distribui 16 tipos de antirretrovirais para os pacientes infantis, que variam em apresentação farmacêutica e concentração de acordo com a faixa etária. A maioria dessas drogas não foi estudada em populações pediátricas e somente tem registro na Anvisa para adultos ou crianças acima de determinadas idades.

Dados preliminares, divulgados pelo Ministério da Saúde em 2010, revelam que de 1980 a 2010 o Brasil registrou aproximadamente 14 mil casos de HIV em indivíduos menores de 13 anos.

Atualmente, estima-se que cerca de 4 mil crianças nessa faixa etária estejam em terapia antirretroviral. Ainda segundo o ministério, esses números têm caído gradualmente ao longo dos últimos cinco anos. Em todo o mundo, há aproximadamente 2,5 milhões de pessoas menores de 15 anos vivendo com o vírus HIV.

Fonte: Band.com.br

Ativistas realizarão Jornada de Saúde e Prevenção LGBT no interior do Rio de Janeiro

A Rede LGBT do Interior Fluminense e o grupo Cabo Free de Conscientização Homossexual vão realizar entre janeiro e maio a 1ª Jornada de Prevenção e Saúde LGBT. O evento tem apoio da Secretaria de Saúde de Estado, das organizações locais e coordenações municipais de DST/aids.

As atividades ocorrerão em seis municípios do interior do Rio de Janeiro (Cabo Frio, Macaé, Petrópolis, Natividade, Resende e Quatis) levando informação e conscientização a estudantes, profissionais das áreas de saúde e educação, além de membros da comunidade LGBT.

A abertura da Jornada será no próximo dia 24, em Quatis. No dia 25 é a vez do município de Resende sediar as atividades.  Em fevereiro será a vez dos municípios de Macaé e Natividade receberem o evento.

Além dos convidados pela Comissão de Organização das cidades, vão compor as mesas de debate em Quatis e Resende o Presidente da Rede LGBT do Interior, Cláudio Lemos, um representante do Fórum Estadual ONG/Aids e o cineasta Vagner de Almeida, que estará lançando o seu novo filme – “Janaína Dutra, uma Dama de Ferro” – sobre a vida da primeira travesti a receber a carteira da OAB no Brasil.

Programação:

Abertura: Presidente da Rede LGBT do Interior, Cláudio Lemos, um representante do Fórum Estadual ONGAids, e representante da Coordenação Municipal DST/Aids local

Mesa 1 – “Vulnerabilidades: DST/HIV/Aids e Hepatites Virais”

1) Perfil Epidemiológico/Aids estadual
2) Estratégias da Gerência Estadual e Coordenações Municipais para o enfrentamento da epidemia DST/HIV/aids entre HSH, Gays e Travestis
3) Estratégias das OSC locais para trabalhar a prevenção DST/HIV/aids entre HSH, Gays e Travestis

Mesa 2 – “Homofobia” – por Cláudio Lemos – Presidente da Rede LGBT do Interior Fluminense e do grupo Cabo Free

Mesa 3 – “Realidade local” – representante da Coordenação Municipal de DST/aids

– Exibição do Curta “Janaína Dutra” com a presença do diretor Vagner de Almeida (Abia);

– Apresentação Cultural com a Drag Queen Eddylene Água Suja

Local: Escola Ciep 492  –  Rua Genesio Leite E F, 180, Nossa Senhora do Rosário – Quatis / RJ

 

Fonte: Agência de Notícias da AIDS

Prefeitura do Rio realiza mais de 16 mil testes de aids e sífilis

A Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil realizou 16.216 testes para detecção de HIV e sífilis em 185 postos de saúde e clínicas da família da cidade. A ação faz parte da campanha “Fique Sabendo”, em alusão ao Dia Mundial de Luta contra a Aids, celebrado no dia 1º de dezembro, e é a maior já feita por um município no país.

O objetivo da campanha é reforçar a importância da realização do teste, e nos casos de resultados positivos, os pacientes serão encaminhados imediatamente para tratamento da doença e acompanhamento ambulatorial em uma unidade de saúde da rede. Todos aqueles que passaram pelo exame recebem aconselhamento antes e depois da testagem.

A campanha, que teve início ontem, continuará ao longo da semana e pretende realizar 30 mil exames. Normalmente, os testes poderiam ser feitos somente nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs) nos polos para públicos específicos. Os resultados estarão disponíveis para os pacientes em aproximadamente dez dias na unidade onde fez a coleta.

Cerca de 3.200 funcionários participaram do atendimento e também distribuíram material educativo, preservativos e realizaram atividades voltadas para a promoção da saúde e prevenção das doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e do HIV.

Para obter mais informações sobre os endereços dos postos de saúde, a população pode entrar em contato com o Disque-Rio, no telefone 1746.

Fonte: Jornal do Brasil