Mortes no trânsito devem superar Aids até 2030, diz OMS

O número de mortes causadas por acidentes de trânsito pelo mundo já chegou a 1,24 milhões. Um relatório feito pela Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que em 2030 esse número chegará a 3,6 milhões.

Nos países em desenvolvimento, onde essa “pandemia” é maior, os acidentes de trânsito serão a 5ª principal causa de mortes, ultrapassando Aids, malária, tuberculose e outras doenças. Veja abaixo uma relação dos acidentes de trânsito em alguns países.

Nigéria: É surpreendente, mas em diversos países não saber dirigir ou não ter carteira de motorista não é um problema na hora de assumir o volante.

Na Nigéria, somente agora o governo passou a exigir que os novos motoristas tenham aulas de direção e passem por testes antes de obter uma carteira. Antigamente, bastava comprar uma. A África registra um grande número de acidentes fatais no trânsito, com 24 mortes para cada 100 mil habitantes. A Nigéria é o país africano com mais acidentes e mortes envolvendo veículos.

Suécia: Se classificarmos os acidentes de trânsito como uma doença, a Suécia já erradicou este mal. O país escandinavo registra uma taxa de três mortes no trânsito para cada 100 mil habitantes, a mais baixa entre os países desenvolvidos.

República Dominicana: No continente americano, a República Dominicana é o país mais perigoso para dirigir. O país tem uma taxa de 42 mortes no trânsito para cada 100 mil habitantes. Cinquenta e oito porcento das mortes é causada por acidentes envolvendo veículos de duas ou três rodas.

Colômbia: Em Bogotá, os taxistas andam tão rápido que os passageiros se sentem como peças em um jogo de pinball. Além disso, a criminalidade é um fator agravante das mortes no trânsito no país. Apesar disso, o país evoluiu em relação a segurança no trânsito. Este ano a taxa de mortes no trânsito caiu de 280 para 180 em cinco meses. O país tem uma taxa de 15,6 acidentes fatais para cada 100 mil habitantes. O número é inferior aos 22,5 para cada 100 mil habitantes registrado pelo Brasil.

Fonte: Opinião e Notícia

OMS: mais antirretrovirais para evitar 3 milhões de mortes por Aids até 2025

A Organização Mundial da Saúde anunciou neste domingo que 9,3 milhões de pessoas a mais terão direito a receber medicamentos antirretrovirais contra o HIV, com o objetivo de evitar os 3 milhões de mortos relacionados com o vírus da Aids até 2025.

Calcula-se que 26 milhões de pessoas que vivem com o HIV em países com pouca renda cumprem com os critérios das novas diretrizes da OMS para receber a terapia antirretroviral (TAR). Nas recomendações da agência em 2010, esse número era de apenas 16,7 milhões.

A aplicação de novas diretrizes da OMS poderá prevenir até 3 milhões de mortes relacionadas com a Aids e 3,5 milhões de novas infecções pelo HIV entre 2013 e 2025.

Para conseguir esses objetivos, o investimento financeiro anual total para a luta contra o HIV deverá ser aumentado de forma considerável.

“Os cálculos para 2011 mostram que uma resposta eficaz ao HIV – segundo as recomendações de 2010 -, nos países de baixas ou médias rendas, custaria entre 22 e 24 bilhões de dólares por ano até 2015”, explicou Gundo Weiler, coordenador do departamento HIV/Aids da OMS.

“Agora calcula-se que essa cifra anual deverá incrementar-se em 10% se aplicadas plenamente novas recomendações”, ou seja mais de 2 bilhões ao ano, acrescentou.

Baseado em um enfoque de saúde pública que visa a ampliar aina mais o uso de medicamentos antirretrovirais para o tratamento e prevenção do HIV, as novas diretrizes da OMS respondem aos novos dados científicos e às práticas surgidas depois de 2010, que recomendavam em particular tratar os pacientes de um modo mais precoce para frear o quanto antes o desenvolvimento do vírus no sangue.

Agora, a OMS recomenda começar com os antirretrovirais em todas as pessoas que vivem com o HIV e cuja contagem de linfócitos CD4 seja menor ou igual a 500 células/mm3 de sangue contra 350 células/mm3 de antes. Este novo nível permitirá proteger um maior número de pessoas, já que o número de glóbulos brancos, os linfócitos, é mais alto no começo da doença.

Por outro lado, a agência afirma que agora as grávidas ou lactantes também podem ser tratadas.

Além disso, as crianças menores de 5 anos devem começar o tratamento o quanto antes possível, seja qual for a contagem de CD4 ou sua etapa clínica.

Na opinião do chefe da ONUAids, Michel Sidibé, as novas recomendações vão permitir à comunidade internacional “estar mais perto do final da epidemia de Aids”.

“Estas novas recomendações visam ao futuro, são mais otimistas”, afirmou, por sua parte, o diretor do departamento da HIV/Aids da OMS, Gottfried Hirnschall.

Em 2012, 9,7 milhões de pessoas estavam recebendo terapia antirretroviral em países de baixa ou média renda, frente aos 300.000 em 2002.

Em 2012, o aumento do acesso ao tratamento continuou e, ao final do ano, havia 1,6 milhão de beneficiários mais que 2011, o maior aumento anual já registrado, e principalmente na região africana.

A comunidade internacional deverá, no entanto, redobrar seus esforços para garantir que todas as pessoas que tenham direito a um tratamento possam recebê-lo, sem mencionar que alguns pacientes sequer sabem que estão infectados.

No momento, a OMS fixou como objetivo mundial 15 milhões de pessoas recebendo tratamento até 2015.

Segundo estimativas da OMS e da ONUAids, no final de 2011, 34 milhões de pessoas viviam com HIV no mundo.

Fonte: Portal Terra / AFP

Dia Mundial da Luta contra a Aids terá programação especial no RN

O Dia Mundial da Luta contra a Aids é no próximo dia 01 de dezembro e no Rio Grande do Norte a secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) vai realizar uma série de ações comemorativas à data. Em 2012, o tema da campanha é “Não fique na dúvida, fique sabendo” e objetiva incentivar o diagnóstico precoce da doença.

Segundo dados divulgados pela Sesap de 2000 a 2011 foram registrados 3.122 casos de aids em adultos no Rio Grande do Norte. Dos quais 67% corresponderam ao sexo masculino e 33% ao sexo feminino, o que representa em média dois casos em homens para um em mulheres. Um novo Boletim Epidemiológico produzido pelo Programa Estadual DST/Aids e Hepatites Virais será divulgado no dia 30 de novembro.

Na programação do Dia Mundial da Luta contra a Aids estão palestras, caminhadas e exposições de vídeo, além do incentivo a todos os municípios do Estado a oferecerem o teste rápido de HIV/Aids, Sífilis e Hepatites B e C para à população.

As comemorações começam a partir desta terça-feira (27), com a palestra “HIV/Aids: Pela vida e Contra o Preconceito!”, em Mossoró, e terminam no dia 09 de dezembro com ações da campanha “Fique Sabendo no Carnatal 2012”. (veja programação completa abaixo)

O procedimento do teste rápido  é simples, com a retirada de apenas uma gota de sangue da ponta do dedo é possível identificar se o paciente apresenta alguma dessas doenças e o resultado fica pronto  em 30 minutos. As pessoas que realizam o teste também  recebem aconselhamento antes e depois do exame, e em caso positivo, são encaminhadas para o serviço especializado.

DIA MUNDIAL – O dia 01 de dezembro foi instituído como o Dia Mundial da Luta contra a Aids, em 1987, pela a Assembleia Mundial de Saúde com apoio da Organização das Nações Unidas (ONU). A data surgiu  para reforçar a solidariedade com as pessoas portadoras do vírus HIV.

No ano seguinte, o Brasil também adotou a data em seu calendário e desde então aproveita o dia para lançar campanhas de conscientização e informação sobre a doença. A homenagem entrou em vigor partir de uma portaria assinada pelo Ministro da Saúde.

Este ano, a campanha do Ministério incentiva às pessoas a saberem sua condição sorológica e procurar as unidades da rede pública e os Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA), em todo o país.

PROGRAMAÇÃO

27 de Novembro (FAEF-UERN)– Mossoró- 8h30
Seminário de Integração
Palestra: HIV/Aids: Pela vida e Contra o Preconceito!

29 de Novembro- Hospital Rafael Fernandes- Mossoró
Seminário: Atualização na Assistência às Pessoas Vivendo Com HIV/Aids

30 de Novembro- Mãe Luíza/Natal
II Mostra de Saúde e Cultura de Mãe Luiza

01 de Dezembro- Mossoró – 07h30
1º Marcha de Luta Contra Aids, Sífilis E Hepatites Virais.
Pela Vida e Contra o Preconceito!

01 a 05 de Dezembro- 8h30 às 16h
10º Seminário Evangélico de Enfrentamento do HIV/Aids
Igreja Luterana, Av. dos Xavantes, 1993. Cidade Satélite III- Natal/RN

05 de Dezembro- 8h ás 17h (auditório do SESC- Centro)
Seminário Promoção da Saúde e Prevenção Posithiva. A AIDS não se vê: a importância dos meios de comunicação para um novo olhar sobre a temática.

06 a 09 de dezembro- 16h às 22h
Fique Sabendo no Carnatal 2012
Av. Miguel Castro, 1284, em Lagoa Nova
(percurso do Carnatal)

Fonte: NE10

Aids: Fundação Tropical (Manaus) alerta jovens sobre prevenção e busca do diagnóstico precoce

Nesta quarta-feira (28), a Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) promoveu culto ecumênico em alusão ao Dia Mundial de Luta contra a Aids (1º de dezembro). No evento, a diretora-presidente do hospital, Graça Alecrim, destacou que um dos grandes desafios atuais do sistema de saúde pública é despertar o interesse da população, principalmente dos jovens, para adoção de medidas preventivas e, também, para identificação precoce da doença.

Dados da Coordenação Estadual de DST/Aids e Hepatites Virais, vinculada à FMT-HVD, mostram que 86% do total de casos de Aids registrados no Amazonas, de 2007 a outubro de 2012, concentram-se na faixa etária de 20 a 49 anos, seguindo a tendência nacional. “Pessoas cada vez mais jovens são infectadas pelo vírus HIV, o que pode ser evitado com orientação e uso do preservativo. É a medida mais simples e ainda é a mais eficaz”, frisou.

Desde o início da semana, a Coordenação Estadual de DST/Aids está intensificando as ações de prevenção e apoio ao diagnóstico, incluindo realização de testes rápidos de HIV, Sífilis e Hepatites B e C. De acordo com a coordenadora estadual, Silvana Lima, o principal apelo da campanha é o incentivo à busca pelo teste rápido, além da prevenção. “O diagnóstico precoce assegura tratamento adequado e em tempo hábil. Identificar a doença já em fase avançada é um risco para a vida do paciente”, afirma. As ações seguem até 1º de dezembro. Neste período, deverão ser distribuídos mais de 1 milhão de preservativos e realizados mais de 56 mil testes para o diagnóstico das doenças, na capital e no interior.

Integrante do Movimento Mulheres Positivas do Amazonas, Maria Emília Ferreira, 40 anos, faz questão de incentivar os jovens para a prática do sexo seguro, com uso do preservativo. Vivendo com Aids desde 2001, ela diz que é possível ter uma boa qualidade de vida, seguindo todas as recomendações médicas. “Exige muita disciplina e vontade de viver”, disse. Ela é mãe de uma menina de 8 anos, que é saudável.

Segundo Maria Emília, nos primeiros nove anos a doença não se manifestou. “A primeira vez que adoeci gravemente foi em 2009, quando tive que aderir ao tratamento de forma radical”. Além da rotina de tomar medicamentos diariamente para o controle da doença, ela precisou adotar outros cuidados na relação com o novo companheiro. “O meu parceiro não tem HIV, mas divide o tratamento comigo, por medida preventiva, fazendo a profilaxia”, conta. O casal faz acompanhamento médico de rotina na FMT-HVD, que é unidade de referência na rede estadual de saúde, para o tratamento de pacientes soropositivo.  Atualmente, mais de 5 mil portadores do vírus HIV estão em tratamento no Amazonas, considerando os pacientes atendidos na FMT-HVD e nas unidades de dispensação de medicamentos no interior do Estado.

Testes rápidos – Os testes rápidos podem ser encontrados no Ambulatório de Dermatologia da FMT-HVD, das 8h às 17h, onde os interessados também podem encontrar o serviço em qualquer época do ano. Durante a campanha, até 1º de dezembro, a testagem ainda pode ser feita nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA) do Governo do Estado, na Fundação Alfredo da Matta e nas maternidades Balbina Mestrinho, Ana Braga, CTA do Instituto da Mulher Dona Lindu e Hospital Platão Araújo.

Nesta quinta-feira (29), de 8h às 17h, o teste rápido poderá ser encontrado, também, em unidades da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa): nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) Leonor de Freitas, na Compensa; e Theodomiro Garrido, na Colônia Oliveira Machado; na Unidade de Saúde Ambulatorial Dr. Alfredo Campos, no Zumbi; e Policlínica Dr. Antônio Comte Telles, no São José; de 8h às 21h, também na Unidade de Saúde Ambulatorial Salvio Belota, no bairro de Santa Etelvina. O serviço pode ser encontrado, ainda, no CTA da Maternidade Municipal Moura Tapajoz.

Fonte: A Critica

Ações mobilizam população no Dia Mundial de Luta Contra a Aids – Maceió

A programação alusiva ao Dia Mundial de Luta Contra a Aids – mobilização que acontece anualmente no dia 1º de dezembro – já teve suas ações iniciadas pela Secretaria Municipal de Saúde de Maceió (SMS). Desenvolvidas pelo Programa Municipal de DST/Aids, as atividades foram iniciadas esta semana envolvendo prevenção e cuidado, ampliando assim o acesso ao diagnóstico precoce com a realização de testes rápidos diagnósticos, intensificando também o incentivo ao uso contínuo dos preservativos masculinos e femininos.

“Nosso foco estará mais uma vez direcionado à adoção de um comportamento sexual seguro e responsável, com o objetivo de levar todos a refletir sobre a realidade da doença, que registrou, só este ano, a descoberta de 140 novos casos até o último dia 19, com 24 óbitos”, afirma a coordenadora do programa, Sandra Gomes.

As primeiras ações da campanha deste ano – que tem como tema “Eu vivo com HIV e sei disso. A diferença entre nós é que você pode ter o vírus e não saber. Vá a uma unidade de saúde e faça o teste de Aids” – foram as testagens rápidas realizadas nas unidades David Nasser (Ipioca) e Denisson Menezes, as oficinas de prevenção nas escolas João XXIII e Sebastião da Hora e a mobilização “Fique Sabendo” (de aconselhamento e diagnóstico com teste rápido), no Núcleo Estadual de Atendimento Socioeducativo (Neas), além da disponibilização de insumos de prevenção, testes rápidos e palestras educativas para colaboradores de empresas como Bompreço, Brasilgás, Gerdau e outras.
Atividades serão intensificadas nesta segunda-feira

A partir de segunda-feira (26), a campanha reforça suas ações com a programação de testagens rápidas nas unidades José Tenório (na Serraria, dia 26), Hamilton Falcão (Benedito Bentes, dia 29), João Paulo II (Jacintinho, dia 30), Aliomar Lins (Benedito Bentes, dia 4/12), Djalma Loureiro (Clima Bom, dia 5), Ib Gatto Falcão (Tabuleiro, dia 6), São José (Canaã, dia 7) e Edvaldo Silva (Fernão Velho, dia 10), com orientações técnicas e educativas de prevenção às DST/Aids, além da disponibilização de preservativos e material impresso educativo para a população em geral.

No dia 30, as ações de testagem rápida e prevenção estarão à disposição da população no Bloco I do PAM Salgadinho – que contará ainda com apresentações teatrais e ações itinerantes em todos os blocos da unidade – e no Centro de Maceió, com a “Tenda de Cuidados”, mobilização que disponibilizará apresentações teatrais de ONG/Aids e parcerias, massoterapia, reiki terapia, cortes de cabelo, exposição de frase escritas por pessoas vivendo com HIV/Aids e ações preventivas com orientações educativas.

No Dia Mundial de Luta Contra a Aids (1º de dezembro), as ações de diagnóstico com teste rápido para HIV, sífilis, hepatite B e C e HTLV serão realizadas na Praça Padre Cícero, mobilizando todas as comunidades do Benedito Bentes. Já no dia 2, a equipe técnica do Programa em Maceió garante a testagem rápida na orla da Pajuçara, participando da mobilização “Fique Sabendo, realizada pela Programa Estadual de de DST/Aids. O encerramento da campanha acontece apenas no dia 7, com uma nova mobilização no calçadão do comércio.

Aids em Maceió – Dados epidemiológicos da Aids em Maceió mostram que de 1986 a 2012, foram detectados 2.652 casos em adultos. Dos 140 novos casos detectados em 2012, 93 são do sexo masculino e 47 do sexo feminino. A maior incidência de número de casos está entre os heterossexuais, na faixa etária de 20 a 34 anos.

Fonte: Aqui Acontece

Para protagonistas da campanha do 1º de dezembro, ajudar na conscientização é mais importante que risco de sofrer preconceito

João Geraldo Netto, de 30 anos, mora em Petrópolis; Sílvia Almeida, 48, em São Paulo; e Manuela Estolano, 25, em Olinda. Os três foram selecionados, entre os mais de 500 mil brasileiros vivendo com HIV, para protagonizar a campanha do Dia Mundial de Luta contra a Aids deste ano.

A iniciativa, cujo lema é “Não fique na dúvida, fique sabendo”, mostra cenas reais da vida dos participantes e reforça que o diagnóstico precoce do HIV é essencial para o controle da doença. “Decidi participar desse projeto porque tinha muito a ver comigo. Sou uma mulher normal, mãe, avó e, acima de tudo, uma pessoa que não deixa de viver e ser feliz por conta um vírus”, comentou Sílvia.

Assistente de Responsabilidade Social da mineradora Anglo American, Sílvia é ativista e fala com frequência em público sobre sua soropositividade. Ela disse que nunca sofreu nenhum tipo de discriminação por ter HIV. “Pelo contrário, já fui elogiada por apoiar esta causa”, comentou.

O gerente de marketing João Geraldo afirma que não dá espaço para a aids.  “Nunca vivi pro HIV. Eu me cuido, me alimento bem, uso camisinha, mas sigo minha vida sem problemas”, disse.

Quando participou há alguns anos de uma campanha com outros jovens infectados, ele conta que vários familiares ficaram sabendo da sua sorologia. “Uma conhecida nos Estados Unidos viu uma foto minha na internet e ligou contando pra minha prima”, recorda. “Não me importei com o que falaram e o que vão falar agora, mas me importo em como essa iniciativa será útil para ajudar na conscientização”.

Para a produtora de eventos Manuela, que se descobriu portadora do HIV há apenas sete meses, a divulgação da campanha pode ter um impacto maior. Alguns tios, primos e o pai não sabem que ela tem o vírus causador da aids. “Pode ser que a revelação do meu diagnóstico seja sim mais impactante para eles, mas não tem problemas… Quem vai viver pra sempre com este vírus sou eu”, disse.

Os vídeos com a participação de João, Sílvia e Manuela já estão disponíveis no Youtube e estão aliados com a estratégia de mobilização nacional de aconselhamento e testagem voluntária para o HIV, sífilis e hepatites B e C.

Fonte: Agência de Notícias da AIDS

Curitiba abre campanha de testes rápidos de Aids, Sífilis e Hepatite

Nove unidades de saúde participarão, a partir desta quinta-feira (22), da estratégia de mobilização Fique Sabendo – a campanha lançada pelo Ministério da Saúde para diagnóstico de aids, sífilis e hepatites B e C nas pessoas que não apresentam sintomas de nenhuma dessas doenças mas podem estar contaminadas e, por isso, precisam começar o tratamento o quanto antes.

Os exames serão feitos com kits para testagem rápida – que dispensa a análise laboratorial usada na rotina – até o dia 30. Eles serão oferecidos nas unidades de saúde Bairro Alto (Rua Jornalista Alceu Chichorro, 314), Vila Guaíra (Rua São Paulo, esquina com Augusto de MAri), Bairro Novo (Rua Paulo Rio Branco de Macedo, 791), Nossa Senhora da Luz (Rua Emídio Nonato da Silva, 45), Vila Hauer (Rua Waldemar Kost, 650), CAjuru (Rua Pedro Bocchino, 750), Vila Machado (Rua Laudelino Ferreira Lopes, 2959), Santa Felicidade (Via Vêneto, 10) e COA (Centro de Orientação e Aconselhamento – Rua do Rosário, 144, 6º andar) – uma por regional.

Não é necessário ser morador da área de abrangência de nenhuma delas para fazer os testes, que precisam de apenas uma gota de sangue e levam menos de 30 minutos para ficar prontos. Basta comparecer a qualquer um deles entre 10h e 17h, de segunda a sexta-feira, levando documento de identificação.

Serviço

Exames até 30 de novembro

Das 10h Às 17h

Em nove unidades de saúde

Fonte: Banda B